ENEG 2015 – AMANHÃ É DIA DAS VISITAS TÉCNICAS E CULTURAIS

03/12/2015

Termina amanhã com um conjunto de visitas técnicas e culturais o Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento – ENEG 2015, que decorre desde a passada terça feira no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, com o tema geral “Os Desafios da Sustentabilidade Integral do Setor da Água”.

Estão previstas visitas técnicas à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Lever e à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Sobreiras. Serão também organizadas visitas culturais à Casa da Música e ao Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões.

ETA de Lever

A Estação de Tratamento de Água (ETA) de Lever é responsável pelo tratamento de água para cerca de milhão e meio de habitantes. Constitui por isso uma das mais emblemáticas estruturas da Águas do Norte e emprega os mais sofisticados meios tecnológicos no processo de tratamento de água, tornando-a capaz de produzir cerca de 400 000 m³ de água.

ETAR de Sobreiras

O território do Município do Porto encontra-se organizado em bacias de drenagem das águas residuais domésticas, através de dois subsistemas (Oriental e Ocidental), apoiados nas Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Freixo e de Sobreiras, respetivamente. Este sistema traduz-se numa capacidade instalada para tratar, com um nível de tratamento terciário, 90 000 m3/dia de águas residuais, o que corresponde a um universo populacional de 370 000 habitantes equivalentes. Ambas as ETAR estão equipadas com as mais modernas tecnologias, são totalmente cobertas e possuem tratamento terciário com desinfeção por raios ultravioletas e tratamento do ar (sistema de desodorização).

Casa da Música

A Casa da Música foi projetada pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas, como parte do evento Porto Capital Europeia da Cultura em 2001 (Porto 2001), no entanto, a construção só ficou concluída em 2005, transformando-se imediatamente num ícone da cidade. A Casa da Música foi construída junto da Rotunda da Boavista. O lugar onde está atualmente o edifício era usado para recolha e reparação dos carros elétricos que circulavam pela cidade do Porto. A arquitetura do edifício foi aclamada internacionalmente. Nicolai Ouroussoff, crítico de arquitetura do New York Times, classificou-o como “o projeto mais atraente que o arquiteto Rem Koolhaas já alguma vez construiu” e como “um edifício cujo ardor intelectual está combinado com a sua beleza sensual”. Compara-o também “ao exuberante projeto” do Museu Guggenheim Bilbao do arquiteto Frank Gehry em Bilbau, Espanha. “Olhando apenas o aspeto original do edifício, verifica-se que esta é uma das mais importantes salas de espetáculos construída nos últimos 100 anos”, comparando-o à sala de espetáculos Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles e ao auditório da Filarmónica de Berlim.

Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões

O novo Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões é um dos mais significativos investimentos promovidos pela APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, S.A. e que resulta de uma dinâmica de cooperação territorial, interligando dois principais objetivos: por um lado o de melhorar a eficácia comercial do porto, maximizando a capacidade de atração de um segmento de grande potencial de crescimento que é a atividade de cruzeiros e, por outro lado, o de integração urbana, associado ao incremento da sociabilidade com a população envolvente. Esta obra de imponente valia arquitetónica tem a assinatura do Arquiteto Luís Pedro Silva. O novo Terminal de Cruzeiros surge desta forma como o maior projeto de sempre de abertura do porto à cidade, fazendo do Porto de Leixões uma importante porta de entrada na região e impulsionando definitivamente o crescimento do número de navios de cruzeiro e de passageiros em Leixões, assumindo-se cada vez mais como um porto de cruzeiros.