ENEG 2015 REUNIU DURANTE TRÊS DIAS NO PORTO O SETOR PORTUGUÊS DA ÁGUA

11/12/2015

Promovido pela Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA) decorreu nos passados dias 1, 2, 3 e 4 de dezembro, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, o Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento – ENEG 2015, com o tema geral “Os Desafios da Sustentabilidade Integral do Setor da Água”.

A indústria portuguesa da água esteve no ENEG 2015 em três dias pautados por intensa reflexão e debate. O evento contou com 465 participantes, foram apresentadas 131 comunicações e posters distribuídos por nove temas técnicos, decorreram 6 mesas redondas em que estiveram envolvidos mais de 30 oradores, a exposição contou com 46 stands de exposição e 12 encontros empresariais, com apresentações comerciais.

Durante o Jantar e Gala que teve lugar no dia 2 de dezembro foram entregues pela APDA os Prémios “Tubos de Ouro” – nas temáticas de “Melhor informação institucional e empresarial”, “Melhor ação de responsabilidade social”, “Melhor ação de inovação” e “Melhor ação em prol da redução de perdas de água” – e do Campeonato Nacional de Montagem de Ramais em Carga – Pipe Contest Portugal 2015.

Na Sessão de Encerramento do ENEG 2015 intervieram o Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, a Presidente da Comissão Organizadora do evento, Dulce Álvaro Pássaro, e o Presidente da Assembleia Geral da APDA, Rui Godinho.

Carlos Martins, Presidente do Conselho Diretivo da APDA entre 2003 e 2009, na sua primeira intervenção na qualidade de Secretário de Estado do Ambiente, elencou alguns dos principais desafios que hoje se colocam aos serviços de águas em Portugal: a “eficiência dos serviços”, a “eficiência dos investimentos” e o “reforço da coesão no acesso aos sistemas de água e saneamento”. Considerou importante a salvaguarda dos “interesses genuínos dos municípios”, que têm hoje à sua disposição um “leque de opções suficiente vasto” para enfrentar os desafios com que estão confrontados. Sublinhou ainda a necessidade de ser levado a cabo um “trabalho de relojoaria para contornar reservas e divergências” e para construir um setor “em que nos passamos rever melhor”. Enalteceu a organização do ENEG, afirmando que “esta comunidade discute o que de mais moderno há neste setor”.

Dulce Álvaro Pássaro agradeceu a todos os patrocinadores, apoiantes, membros das Comissões de Honra, Científica e Organizadora do ENEG 2015 e a todos os demais envolvidos na organização deste evento, pelo sucesso alcançado, considerando que “a escolha do tema geral do Encontro e dos subtemas das comunicações foi claramente ajustada às preocupações do setor das águas”.

Por seu turno, Rui Godinho reforçou a importância da APDA enquanto “parceira indispensável na definição e implementação das políticas públicas” nestas áreas, lançando o repto para que “contem com a APDA para avançar”.

 

 

O ENEG confirmou-se, mais uma vez, como uma referência obrigatória para todos os que se movimentam no setor das águas em Portugal, sejam entidades gestoras, prestadores de serviços e outras instituições que operem neste domínio.

A APDA espera por si no ENEG 2017!