IMAGEM DE RIO DE LIXO COLOCA FOTOJORNALISTA PORTUGUÊS NA FINAL DO WPP 2019

21/02/2019

“É realmente dramático olhar para um rio e ver apenas lixo”, revela Mário Cruz, finalista na categoria de Ambiente do World Press Photo (WPP) 2019, através de uma imagem com uma criança no rio Pasig, em Manila, nas Filipinas. Em entrevista ao Público, o fotojornalista português pretende, acima de tudo, que a nomeação traga "visibilidade" à problemática ambiental.

                               "Living Among What's Left Behind" © Mário Cruz

Living Among What's Left Behind (Viver entre o que foi deixado para trás) é o título da imagem captada pelo profissional da agência Lusa, que desenvolveu um projeto a título pessoal sobre as comunidades de Manila que vivem sem saneamento, junto ao rio, rodeadas de lixo. “Um exemplo extremo, mas real”, revela Mário Cruz.

A imagem em causa mostra uma criança deitada num colchão rodeado por lixo que flutua no rio Pasig, tendo sido captada entre a recolha de materiais recicláveis, uma prática comum das crianças locais para obterem algum rendimento para si e respetivas famílias.

O rio Pasig foi declarado biologicamente morto na década de 1990 e o que se retrata com esta fotografia “não é um cenário projetado para um futuro negro; é a atualidade - o que se está a passar neste preciso momento”, sublinha o fotojornalista.

O júri da 62.ª edição do WPP avaliou 78.801 imagens captadas por 4.738 fotógrafos que concorreram ao prémio, mas só em Abril vai ser conhecida a fotografia do ano e as várias classificações nas respetivas categorias.

Este ano, a exposição abre as portas a 14 de abril em Amesterdão, capital holandesa, e chega a Lisboa no dia 27 de abril, estando patente no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, no Príncipe Real, até 19 de maio.