VENTO PODE LEVAR MICROPLÁSTICOS A TODO LADO

17/04/2019

Cientistas encontraram nos Pirenéus franceses concentrações de microplásticos comparáveis às que já tinham sido registadas em estudos anteriores no centro de Paris, capital francesa, e Dongguan, uma megacidade chinesa altamente industrializada. Levadas pelo vento, as partículas podem viajar pelo ar distâncias de, pelo menos, 100 quilómetros.

Publicado na revista científica Nature Geoscience, o estudo é pioneiro a provar que os microplásticos não se ficam pelas cidades, podendo chegar a atingir com a mesma intensidade e através de transporte atmosférico zonas pouco povoadas. Apesar de a investigação sugerir que estas partículas viajam normalmente por distâncias significativas - 100 quilómetros - os cientistas não descartam a possibilidade desse percurso poder ser superior. O vento pode levar as partículas para e por todo o lado, sendo que, posteriormente, a chuva ou a neve arrasta-as até se depositarem no chão.

Para esta investigação, a equipa analisou amostras recolhidas ao longo de cinco meses, entre Novembro de 2017 e Março de 2018, na estação meteorológica de Bernadouze, a 1425 metros de altitude, uma zona supostamente não contaminada, tenho sido esse o critério de seleção. Resultado: encontraram plásticos de quase todos os tipos, mas documentaram principalmente partículas com um diâmetro inferior a 50 micrómetros (milésima parte um milímetro) de poliestireno e polietileno, os principais componentes nos sacos e nas garrafas de plástico e embalagens de uso único (componentes que podem ser reciclados). Também recolheram fragmentos esféricos, embora, devido ao desgaste destes, não tenham conseguido confirmar se são ou não microesferas.

Em Portugal, as propostas para a criação de programas de redução dos microplásticos em cosméticos e produtos de higiene foram aprovadas no início do ano, no entanto, as que proibiam a comercialização destes produtos foram rejeitadas.




Design Binário