ALIMENTOS E ÁGUA: AVALIADAS NECESSIDADES GLOBAIS ATÉ 2050

17/05/2019

Redistribuir culturas agrícolas a nível regional, adotar uma agricultura mais amiga do ambiente e aumentar o comércio internacional de alimentos são as estratégias-chave para corresponder, de forma sustentável, à procura crescente de alimentos. Estes são os resultados de um estudo publicado na revista Nature Sustainability, que avaliou as necessidades globais de alimentos e água até 2050, tendo em conta o aumento da população mundial e a proteção dos ecossistemas aquáticos.

De acordo com os investigadores, para manter a segurança alimentar e os requisitos de conservação dos ecossistemas de água doce até 2050, apesar da crescente poluição e dos crescentes impactos das mudanças climáticas, vai ser necessário expandir a área de terra utilizada para agricultura em 100 milhões de hectares - aproximadamente 100 milhões de estádios de futebol - até 2050.

Além disso, e tendo em conta os recursos hídricos limitados, é emergente reduzir as culturas intensivas em áreas secas, desenvolver a agricultura urbana e vertical, assim como reduzir o consumo de carne na dieta humana.

Os resultados do estudo indicam também a necessidade de um fluxo adicional de 10% a 20% de comércio, desde as regiões abundantes em água para as regiões com escassez deste recurso, a fim de respeitar as regulações ambientais que asseguram a saúde dos ecossistemas.

Hoje em dia, praticamente 70% da água doce a nível global é utilizada para culturas agrícolas irrigadas, que asseguram cerca de 40% dos alimentos a nível mundial. As Nações Unidas preveem que a população mundial alcance os 9 mil milhões de pessoas até 2050, o que irá aumentar a pressão sobre a necessidade de água no futuro.




Design Binário