EMERGÊNCIA DO CAUDAL DO TEJO ULTRAPASSADA

05/12/2019

João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e Ação Climática, declarou à TSF que “a emergência no caudal do Tejo está ultrapassada”, adiantando também que o Governo espanhol prometeu resolver o quase esvaziamento da barragem de Cedillo até 15 de dezembro. As conclusões são fruto de uma reunião que existiu entre Portugal e Espanha sobre o assunto.

Por altura do ENEG 2019 - Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento, que decorreu em Ílhavo, João Pedro Matos Fernandes já havia abordado o tema, sublinhando a necessidade de “aprofundar a Convenção de Albufeira”, que regula as transferências de água de Espanha para Portugal, para uma maior regularidade nos caudais do Tejo, tendo afastado, porém, a possibilidade de o país obter um maior caudal vindo de Espanha.

Durante a Sessão de Abertura do evento, o Ministro referiu também que a negociação dos caudais do Tejo é uma tarefa “extraordinariamente difícil”, adiantando que “Espanha defende que se há maior irregularidade na chuva também se deveria tornar ainda mais irregular o cumprimento dos caudais previstos na Convenção”.

João Pedro Matos Fernandes criticou na altura a forma como Espanha cumpriu esse acordo no último ano hidrológico, com “o esvaziamento da albufeira de Cedillo sem compensação a partir das albufeiras a montante, nomeadamente Alcántara e Valdecañas”, esperando que esta atitude não se repita.

Organizado bienalmente pela APDA, o ENEG 2019 decorreu no Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel entre 19 e 22 de novembro, tendo reunido centenas de profissionais e interessados do setor.