UNIÃO EUROPEIA: NAVIOS QUE PARAM NOS PORTOS SÃO 8.º MAIOR POLUIDOR

10/12/2019

Os navios que atracam nos portos da União Europeia emitiram, em 2018, mais de 139 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2). Caso as emissões destes transportes entrassem nas contas nacionais de cada país europeu integrariam a lista dos dez maiores poluidores, ocupando a 8.ª posição. As conclusões são de um estudo revelado pela Federação Europeia para os Transportes e Ambiente (T&E), de que a Zero - Associação Sistema Terrestre Sustentável faz parte.

O setor dos transportes é o único que regista um aumento das emissões desde 1990, uma tendência que tende a agravar-se de acordo com as previsões da recente resolução da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar sobre a COP25 - “as emissões provenientes da aviação (que também não entra nas contas nacionais de cada país europeu) e da navegação devem continuar a aumentar, até 2050, entre 300% a 700% no primeiro caso e entre 50% a 250% no segundo”.

Perante esta realidade e os dados agora divulgados, a T&E defende ser fulcral a inclusão das contas da navegação no total de emissões da União Europeia, não só para que as metas da Europa com o Acordo de Paris sejam cumpridas como também para que o transporte marítimo possa contribuir de forma justa para o esforço de descarbonização da economia. A medida é uma das intenções já manifestadas pela nova presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

O fim da subsidiação a este setor, um maior controlo na construção dos navios e a transição gradual para as energias renováveis são outras soluções apresentadas pela T&E, que propõe também a criação de um fundo que coloque um preço sobre o carbono emitido (a importância seria utilizada na reconversão do setor para se tornar menos poluidor).

No universo do estudo, Portugal aparece como o 13.º com mais emissões provenientes da navegação, ocupando o 5.º lugar quando se analisa quanta dessa navegação serve para transportar combustíveis fósseis. Os dados mostram que 25% de todas as emissões alocadas a Portugal pela T&E corresponde a esse tipo de transporte.