PORTUGAL CONTINENTAL: QUASE UM TERÇO AINDA EM SECA

09/01/2020

Em dezembro de 2019 choveu mais do que é normal, mas apesar de se ter verificado um desagravamento da seca em Portugal Continental, 37,3% mantém-se nesta situação. Segundo os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o cenário mais complicado verifica-se no sotavento algarvio, que representa os 3,5% do território que permanece em seca severa.

O Boletim Climatológico do IPMA indica que o mês de dezembro foi quente e chuvoso. A temperatura do ar verificou-se superior ao valor normal em cerca de 1 oC, a terceira mais alta desde 2000 no mesmo período, sendo que a precipitação também registou quantidades fora dos parâmetros - correspondeu a cerca de 127% do valor normal mensal. Desde 2010 que não chovia acima da média em período homólogo.

Para monitorizar a seca em Portugal Continental, o IPMA utiliza o índice PDSI (Palmer Drought Severity Index). Este avalia a quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo, permitindo detetar a ocorrência de períodos de seca, classificando-os em termos de intensidade: fraca, moderada, severa e extrema.