ANTÓNIO CARMONA RODRIGUES: GESTÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS

28/01/2020

Engenheiro Civil e Docente na Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Lisboa, António Carmona Rodrigues transpõe, na revista APDA #15, uma perspetiva sobre as águas pluviais, na qual enaltece a boa gestão e planeamento para melhor combater as adversidades, defendendo sempre a política de prevenção ao invés da de reação.

A evolução demográfica, as alterações climáticas, que tornam cada vez mais frequentes os episódios de cheias que contrastam com os de seca e escassez, a subida do nível médio da água do mar, assim como o aumento populacional, “maioritariamente, nas grandes cidades e áreas metropolitanas localizadas nas orlas costeiras” são as principais barreiras apontadas pelo autor.

“Mas é no contexto do crescimento das áreas urbanas que os problemas da gestão das águas pluviais (…) devem merecer uma maior atenção (…)”, uma vez que “em muitos casos se processa sem um adequado planeamento, conduzindo a um mau ordenamento do território, com ocupação de terras de grande valor agrícola e, por vezes, com um tecido urbano desorganizado e potenciador de guetos urbanos” sublinha o Professor.

Enquanto Jakarta, na Indonésia, é dada como um exemplo de cidade com problemas de drenagem das águas pluviais, por inúmeras razões, António Carmona Rodrigues elogia as práticas de Tóquio, Copenhaga ou Barcelona no que à antecipação dos efeitos do crescimento urbano e das alterações climáticas diz respeito.

O autor conclui o artigo com dois alertas: “a necessidade de mobilizar quantidades avultadas de investimentos para este sector” e a urgência de “uma política da água que promova o bem-estar das populações e o desenvolvimento, de forma sustentável do ponto de vista social, ambiental e económico, criando condições de vida não só nas zonas costeiras mas também em regiões mais interiores”.

Leia aqui o artigo na íntegra (página 36).