CRISE CLIMÁTICA: “TALVEZ MAIOR OBSTÁCULO À PAZ, ESTABILIDADE E PROSPERIDADE GLOBAIS”

21/02/2020

Nas palavras do Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, “a crise climática é talvez o maior obstáculo à paz, estabilidade e prosperidade globais”. A afirmação teve lugar durante uma conferência sobre desenvolvimento sustentável no Paquistão, quinto país mais ameaçado pelas alterações climáticas e, no momento, em conflito com a Índia devido ao uso da água.

Segundo relatórios de organizações ambientais, o degelo, inundações e desertificação são as principais consequências que o Paquistão tem vindo a enfrentar.

Já no que diz respeito à problemática da água, António Guterres considera-a o maior perigo para o país, tendo sublinhado que 80% dos lençóis do território são destinados à agricultura, que emprega 40% da população ativa. Neste âmbito, existe ainda a tensão com a Índia, uma vez que os dois países compartilham os leitos de seis rios.

Numa tentativa de mitigar a situação, Guterres deu o exemplo do acordo assinado entre Portugal e Espanha, em 1998, precisamente para gerir a água dos rios que os dois países compartilham, demonstrando, desta forma, “que é possível uma cooperação eficaz para resolver esse género de problemas”, explicou.

Tendo como objetivos a paz, prosperidade, dignidade e direitos humanos para todas as pessoas, o desenvolvimento sustentável torna-se assim, e segundo o Secretário-Geral da ONU, de extrema importância para cada país e comunidade, já que os efeitos das mudanças climáticas não respeitam fronteiras, razão pela qual “nenhum país pode dizer que é imune”.

O próprio Paquistão foi dado como exemplo, sendo “injusto que esteja na vanguarda do impacto negativo das mudanças climáticas, já que contribuiu pouco para o problema”, concluiu António Guterres.