OBRAS NAS ETAR DE RIACHOS E TORRES NOVAS EM FASE DE CONCLUSÃO

09/04/2020

As novas licenças emitidas pela Agência Portuguesa do Ambiente, que alteraram as anteriores condições de descarga, levaram a Águas do Ribatejo a investir cerca de 245 mil euros em intervenções nas ETAR de Riachos e Torres Novas.

Iniciados em agosto de 2019, mas agora em fase de conclusão, os trabalhos consistiram na introdução de etapas de remoção química de fósforo para aumentar a capacidade de eliminação deste componente, recorrendo a coagulantes como o cloreto férrico ou o sulfato de alumínio para garantir o cumprimento de um valor limite de 3 mg/l.

As águas residuais urbanas apresentam teores elevados de compostos com fósforo, dado tratar-se de um dos principais constituintes dos detergentes, o qual é removido em parte nas ETAR por meio do tratamento biológico através da incorporação celular, implicando variações na capacidade de remoção em função do estado da biomassa e da concentração na entrada da ETAR.

“A água que devolvemos ao Almonda vai devidamente tratada e transparente como se pode ver nas linhas de descarga à saída das infraestruturas de Riachos e Torres Novas”, explica Pedro Ferreira, Presidente da Câmara Municipal de Torres Novas e vogal do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo, sublinhando a importância da eficiência dos sistemas de tratamento na melhoria da biodiversidade e da qualidade das águas da Bacia do Almonda.

As ETAR e sistemas de saneamento de Riachos e Torres Novas já haviam sido requalificados pela Águas do Ribatejo em junho de 2015, com um investimento de 8 milhões de euros, sendo que a entrada em funcionamento das mesmas permitiu um tratamento eficiente das águas residuais urbanas produzidas, servindo uma população de 40 mil pessoas.