COVIDETECT: 1.ª FASE DO PROJETO CONCLUÍDA

29/05/2020

O COVIDETECT tem o objetivo de criar um sistema de alerta precoce da presença do vírus SARS-CoV-2, responsável pela pandemia de COVID-19, em águas residuais. Através da análise das mesmas, o projeto, que vai avançar para a segunda fase, visa contribuir para melhorar a resposta face a eventuais novos surtos da doença na comunidade.

A primeira etapa, agora concluída, consistiu no desenvolvimento e validação do método de deteção de ARN (material genético do vírus) em águas residuais, tendo sido encontrados fragmentos de ARN nas águas residuais monitorizadas. Os resultados estão em linha com os obtidos em outros trabalhos internacionais semelhantes.

A segunda fase do projeto compreende a monitorização regular e quantificação de SARS-CoV-2 nas cinco Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) piloto, permitindo fornecer dados relevantes para a modelação da carga viral nos efluentes das várias áreas geográficas monitorizadas e, subsequentemente, estabelecer a correlação com os indicadores da vigilância epidemiológica clínica, nomeadamente com o número de casos notificados e o número de casos estimados.

Uma vez que os indivíduos infetados, com sinais clínicos de doença ou assintomáticos, excretam o vírus nas fezes, a água residual é o meio ideal para obter informação sobre a circulação do vírus na comunidade, pelo que os resultados deste projeto, com potencial de replicação para uma escala mais ampla, podem ser relevantes para a vigilância epidemiológica da população por via indireta.

Além disso, e tendo em conta que os indivíduos infetados excretam o vírus vários dias antes do aparecimento de sintomas, a implementação desta ferramenta pode contribuir de forma determinante para a tomada atempada de medidas de saúde pública preventivas nas populações das áreas geográficas em estudo.

Lançado em abril passado pelo  Ministério do Ambiente e Ação Climática, o COVIDETECT é um projeto coordenado pela AdP - Águas de Portugal e desenvolvido por um consórcio onde se integram a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o Laboratório de Análises do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa e as empresas Águas do Tejo Atlântico, Águas do Norte e SIMDOURO, enquanto Entidades Gestoras de sistemas de saneamento das principais áreas metropolitanas do país. A Direção-Geral da Saúde integra o Advisory Board, bem como a EPAL, a Águas do Douro e Paiva, a APA - Agência Portuguesa para o Ambiente e a ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos.