REVISTA APDA #18: A ERA DC: UM EXERCÍCIO PROSPETIVO (EM 3000 PALAVRAS)

26/11/2020

Sérgio Hora Lopes, Diretor da Revista APDA, é o autor do último artigo da secção de Atualidade do número 18 desta publicação. Através do título “A era DC: um exercício prospetivo” debita, em 3000 palavras, uma visão factual e de todo pretensiosa, de como será o mundo depois da pandemia de COVID-19. A investigação realizada para a elaboração deste artigo, pertinentemente ilustrado, conduziu a duas partes exploradas: Mundo e Serviços de Água.

Sobre o Mundo, são realçadas as dimensões económica, financeira, social, política e ambiental, que a pandemia veio agravar e trazer novos desafios.  A “crise multidimensional” nunca vista tem e vai ter repercussões, dependendo a recuperação do tempo e da capacidade de transformação da sociedade. A aceleração tecnológica dada nos últimos meses a nível universal é vista como um incentivo à inovação, que pode trazer novos métodos, conceitos, empregos e até comportamentos. Também a cultura organizacional e industrial foram colocadas à prova, elevando a proximidade e nacionalidade. Sérgio Hora Lopes focou ainda o papel das principais organizacionais a nível internacional, do Estado, do teletrabalho, da família e da interação social, onde a resiliência parece emergir como a característica mais importante para contornar as adversidades.

E é na linha da resiliência que o autor reflete a abordagem ao setor dos serviços de água, que além satisfazerem “uma necessidade básica, que é um direito humano”, também se revelaram menos vulneráveis à pandemia do que outros setores integrantes da sociedade. Todavia, há impactos negativos a serem devidamente considerados e cautelosamente tratados para a sustentabilidade económica e financeira do setor, sendo que o comboio da tecnologia, inovação e investimento deve ser apanhado, mas também enquadrado na esfera da descarbonização. Antes de concluir com uma perspetiva sobre a demografia e o território, Sérgio Hora Lopes sublinha o expectável papel preponderante do Estado e do Regulador no futuro.

Leia o artigo na íntegra aqui (a partir da página 54).