APDA TORNA-SE OBSERVADOR CONSULTIVO DA CPLP

21/12/2020

A XXV Reunião do Conselho de Ministros da CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que decorreu a 9 de dezembro de 2020, em videoconferência, aprovou a concessão da categoria de Observador Consultivo à APDA.  

A categoria de Observador Consultivo foi atribuída considerando o disposto no Regulamento dos Observadores Consultivos da CPLP, adotado pela XIV Reunião do Conselho de Ministros da CPLP, na cidade da Praia, a 20 de julho de 2009, e alterado pela XXI Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, em Brasília, a 31 de outubro de 2016.

Ficando, assim, ainda melhor posicionada a nível nacional e internacional, a APDA reforça com esta integração a sua representatividade e a capacidade para continuar a acompanhar e a responder, de forma mais alargada, aos desafios com que o setor da água se depara hoje, assim como a médio e longo prazo.

Referem-se como exemplos desses desafios os impactos das alterações climáticas na qualidade e quantidade de água, a escassez de recursos, a ocorrência de fenómenos extremos, a evolução demográfica, a incerteza do comportamento da economia com seus impactos sociais com o aumento da pobreza e das desigualdades, a revolução digital e o desenvolvimento tecnológico, bem como a evolução dos valores sociológicos, comportamentais e culturais dos cidadãos e consumidores.

Sendo a boa governança da água uma emergência para qual devemos estar mais do que atentos, ativos, e tendo em conta que vários países que integram a CPLP estão numa situação em que se vivem estas realidades, a APDA pretende, como Observador Consultivo, contribuir para criar e aumentar competências, partilhando conhecimento, boas práticas e apoiar em tudo o que for possível, através da experiência adquirida em 32 anos (quase 33!) de atuação no setor.

A APDA sente-se honrada e bem ciente das suas acrescidas responsabilidades por ser aceite por uma organização como a CPLP, que constitui um forum multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros. Criada em 17 de julho de 1996, tem como objetivos gerais:

  • A concertação político-diplomática entre seus estados membros, nomeadamente para o reforço da sua presença no cenário internacional;
  • A cooperação em todos os domínios, inclusive os da educação, saúde, ciência e tecnologia, defesa, agricultura, administração pública, comunicações, justiça, segurança pública, cultura, desporto e comunicação social;
  • A materialização de projetos de promoção e difusão da língua portuguesa.