INDAQUA QUER OTIMIZAR ETAR COM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

29/04/2021

É através de uma solução tecnológica inovadora, baseada em inteligência artificial, que a Indaqua pretende otimizar os processos de tratamento das ETAR. O projeto, que conta já com um investimento próximo dos 100 mil euros, começou em 2019 e vai estender-se até ao final de 2022.

Pretende-se que a nova solução, por meio do reconhecimento avançado de padrões, promova a capacidade de as equipas operacionais gerirem os processos de tratamento de forma automática e inteligente, em tempo real, tratando anomalias e identificando desvios e situações críticas proactivamente.

A colocação de sensores e um extenso estudo sobre os dados do processo da ETAR de Matosinhos, com registo de operações ao segundo, foram alguns dos passos necessários para a concretização deste projeto. A análise da informação recolhida vai ser fundamental para o desenvolvimento da ferramenta que, através de um conjunto de algoritmos baseados em inteligência artificial, permita reduzir consumos de energia e reagentes, a produção de resíduos, assim como aumentar a segurança nos processos de tratamento das águas residuais.

A primeira fase de sensorização e recolha de histórico de dados operacionais está concluída, sendo que os próximos passos passam pela seleção e teste de diferentes ferramentas de reconhecimento avançado de padrões que permitam a aprendizagem das variáveis envolvidas e da sua inter-relação.

Este é apenas um dos 10 projetos na área da Investigação & Desenvolvimento (I&D) que a INDAQUA tem vindo a desenvolver, nos últimos cinco anos, num investimento que supera os 2,6 milhões de euros.