JULHO COLOCOU 100% DE PORTUGAL CONTINENTAL EM SECA SEVERA E EXTREMA

12/09/2022

As temperaturas excecionalmente quentes em alguns períodos, bem como a onda de calor registada em grande parte do território continental, fazem do mês de julho de 2022 o mais quente dos últimos 92 anos, tendo a área em seca extrema quase duplicado num mês (passou de 28,4 em junho para 44,8 % em julho). Os dados são do mais recente relatório de Monitorização Agrometeorológica e Hidrológica, relativo a 31 de julho de 2022.

À data, a distribuição percentual por classes do índice PDSI* no território era de 55,2 % em seca severa e 44,8 % em seca extrema, colocando todo o território de Portugal Continental nos níveis mais elevados de seca.

Também o volume armazenado em todas as bacias hidrográficas diminuiu quando comparado tanto a junho último, como ao período homólogo em 2021. Das 59 albufeiras monitorizadas, seis apresentavam disponibilidades hídricas superiores a 80% do volume total e 26 disponibilidades hídricas inferiores a 40% do volume total.

O relatório de Monitorização Agrometeorológica e Hidrológica é realizado mensalmente pelo Grupo de Trabalho de assessoria técnica à Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca, visando reunir a informação suficiente para avaliação das disponibilidades hídricas em Portugal Continental.

Aceda ao relatório aqui.

*Índice PDSI (Palmer Drought Severity Index) - avalia a quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo, permitindo detetar a ocorrência de períodos de seca, classificando-os em termos de intensidade: fraca, moderada, severa e extrema.