APDA ELEGEU NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS PARA O TRIÉNIO 2015-2017

29/04/2015

Foram ontem eleitos os novos Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA) para o triénio 2015-2017. A Tomada de Posse terá lugar no dia 5 de maio de 2015, às 11h, na sede da Associação. 

Os novos Órgãos Sociais da APDA têm a seguinte composição: 

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Presidente: Rui Manuel de Carvalho Godinho – EPAL, SA

Secretário: José Manuel Raposo Gonçalves – SMAS de Almada

Secretário: Francisco Manuel Cesário Marques – SMAS de Tomar

CONSELHO DIRETIVO

Presidente: Nelson Carlos Geada de Sousa – Águas do Mondego, SA

Vice-Presidente: José Henrique Guimarães Salgado Zenha – Simtejo, SA

Vice-Presidente: António José Ferreira Sousa Correia Santos – Serviços Municipalizados de Peniche

Vice-Presidente: Isabel Maria Reis Martins Ricardo – Be Water, SA

Vice-Presidente: Jorge Ferreira da Silva Nemésio – SMAS de Ponta Delgada

CONSELHO FISCAL

Presidente: Pedro Manuel da Costa Ventura – SMAS de Sintra

Secretário: Francisco Silvestre de Oliveira – Águas do Ribatejo, EM, SA

Secretário: Vitor Manuel Castro Lemos – SMSB de Viana do Castelo

Do programa apresentado pela lista agora eleita, sublinha-se a afirmação de que «Verificando-se hoje uma maior apetência de informação por parte das entidades gestoras municipais, faremos um esforço direcionado para essas entidades gestoras no sentido de as mobilizar para a Associação. Sem prejuízo de continuarmos a procurar congregar todas as entidades gestoras do setor público e privado.» 

Fundada em 1988, a APDA é uma organização sem fins lucrativos que representa e defende os interesses das entidades gestoras e demais agentes responsáveis pelos serviços de abastecimento de água e águas residuais, bem como de todos os outros intervenientes neste domínio que se insiram no conceito de indústria da água. 

Esta condição tem vindo a ser reforçada pelo relevante contributo que a APDA tem alcançado em domínios como o tratamento, investigação e desenvolvimento dos assuntos relacionados com a quantidade e qualidade das águas de abastecimento, drenagem e destino final das águas residuais, bem como nas iniciativas relevantes que garantam a sua sustentabilidade técnica, económica, social e ambiental.