PALHINHAS DE MASSA: MAIS UM PASSO NO COMBATE AO PLÁSTICO

05/02/2019
As palhinhas, a par de outros plásticos de utilização única como cotonetes e talheres de plástico, têm, segundo a União Europeia, os dias contados até 2021. As palhinhas de massa comestíveis desenvolvidas por uma startup portuguesa pretendem dar o seu contributo ao planeta, onde, se nada for feito, terá, em 2050,mais plásticos do que peixes no mar.
 
 
A Palhinha de massa não deixa qualquer sabor na bebida e dura cerca de uma hora até começar a perder firmeza. O facto de o produto não ter o mesmo desempenho em bebidas quentes não desmoraliza Luís Barroca Monteiro, um dos fundadores da marca, “já que o público-alvo não é esse”.
 
Depois de se depararem com a possibilidade de desenvolver palhinhas de massa comestíveis, os sócios Luís Barroca Monteiro e Luís Mateus encontraram um fornecedor em Itália e encomendaram as primeiras amostras. Os resultados estão à vista: a Palhinha já está ser comercializada para cafés, hotéis e restaurantes em Portugal, podendo ser adquirida no website da marca, em embalagens de, no mínimo, 30 unidades, por seis euros. 
 
Entretanto, e para que a Palhinha possa ser embalada individualmente com um invólucro sustentável está a decorrer uma campanha de angariação de fundos, até 28 de fevereiro, para comprar uma máquina para o efeito.
 
Vamos reduzir a poluição nos mares. Uma palhinha de cada vez! 



Design Binário